” – Preferiria não fazê-lo? – repeti, como um eco, levantando-me muito nervoso e atravessando a sala em grandes passadas. – O que está querendo dizer com isso? Por acaso ficou louco? Quero que me ajude a conferir esta página. Tome aqui.

Estendi-lhe o documento.  Mas Bartleby insistiu:

– Preferiria não fazê-lo.

Fitei-o atentamente. O rosto estava sereno, os olhos vagamente calmos. Não havia qualquer vestígio de agitação

Trecho do conto Bartleby, O Escrivão” de Herman Melville. A narrativa  ilustra sintomas de negativismo e catatonia em meio à vida de burocratas americanos do começo do século XX. Recomendo sempre aos residentes de psiquiatria.

Anúncios