“DOS LIVROS INÚTEIS

Que me encontro sentado na proa do navio é algo especialmente engraçado e com certeza tem sua justa causa. Por livros tenho grande apreço e deles possuo um volumoso tesouro. Embora pouco compreenda do que está escrito em qualquer um deles, venero minha biblioteca e não permito que uma mosca sequer lhes cause mal. Quando alguém fala em ciências e artes, logo digo: ‘Em minha casa tenho-as aos montes!’ Afinal, para contentar meu espírito já é suficiente que eu esteja circundado de livros. (…) Ora, quem muito estuda torna-se lunático! Eu sou um senhor de posses, portanto, posso me dar ao luxo de pagar alguém que estude no meu lugar.”

Trecho de A Nau dos Insensatos de Sebatian Brant. recentemente reeditado em português. O livro de 1490, todo ilustrado, é um clássico da literatura satírica medieval. Edição online em alemão aqui.

Esse post vai para do dr. Paulo Hudson, que certamente sabe reconhecer a utilidade dos livros.
Anúncios