Archives for category: comportamento


Os orientais chamam de Jiko-shisen-kyofu um tipo de fobia específica que consiste no temor do paciente de que seu olhar possa ser considerado ofensivo ou cause desconforto em outras pessoas. Esse é um tipo de síndrome que se manifesta dentro do contexto cultural específico da Ásia e não existem correlatos no mundo ocidental.

Aqui, o blog Mind Hacks comenta o recente artigo publicado em The Australian and New Zealand Journal of Psychiatry sobre o assunto.

Such patients feel deeply ashamed, demeaned, and unaccepted, and many eventually avoid social situations. A diagnosis of phobia of one’s own glance is not contingent upon whether or not a patient considers his or her thoughts to be excessive; therefore, neither the presence nor a lack of insight is essential for the diagnosis.

:: Posts relacionados: Síndrome de Stendhal, Epônimos, Psicopatologia de exportação

Anúncios


Essa eu não conhecia: a síndrome de Stendhal é a ocorrência de taquicardia, tontura e sensação de desmaio diante de obras de arte, particularmente as mais belas. Um artigo do Guardian explora o assunto: Does great art make you ill?

It was first recorded by the 19th-century novelist and art critic Stendhal in Florence, and so scientists are to monitor the vital signs of tourists in Florence after they see works of art.

Encontrei mais informações no ótimo blog A Arte da Medicina

:: Post relacionado: Epônimos

Outro suposto experimento com LSD: dessa vez com um artista que foi solicitado a desenhar sob o efeito da droga. Não consegui determinar se o experimento é verdadeiro ou não, mas os desenhos são bacanas. Clique na imagem pra ver a sequência de desenhos e o relato dos efeitos.

Outlines seem normal, but very vivid – everything is changing color. My hand must follow the bold sweep of the lines. I feel as if my consciousness is situated in the part of my body that’s now active – my hand, my elbow… my tongue

:: Posts relacionados: LSD nas trincheiras, Mirações científicas


A ótima matéria Redefining Mental Illness publicada na Seed apresenta algumas referências importantes que podem influenciar os rumos tomados pelas novas classificações dos transtornos mentais (leia-se CID-11 e DSM-V).

One of the biggest changes in their proposed definition is the statement that a mental disorder “reflects an underlying psychobiological dysfunction.” They are, in essence, saying that there is nothing truly “mental” about these disorders—the disorders are a result of physical problems in the brain.

:: Posts relacionados: O fim do narcisismo, Novas idéias sobre uma velha doença


Pesquisadores da John Hopkins afirmam que no futuro será possível apagar do cérebro lembranças traumáticas. A mátéria publicada no Los Angeles Times destaca a preocupação relacionada aos aspectos éticos de um procedimento dessa natureza.

Richard L. Huganir said his finding on the molecular process “raises the possibility of manipulating those mechanisms with drugs to enhance behavioral therapy for such conditions as post-traumatic stress disorder.”

(via Mind Hacks)

:: Post relacionado: Sobre livre arbítrio & campos magnéticos


O DSM-5 (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, quinta edição) pretende excluir da lista o transtorno de personalidade narcisista.  Achei esse texto no NY Times sobre o assunto: A Fate That Narcissists Will Hate: Being Ignored

Our everyday picture of a narcissist is that of someone who is very self-involved — the conversation is always about them. While this characterization does apply to people with narcissistic personality disorder, it is too broad. There are many people who are completely self-absorbed who would not qualify for a diagnosis of N.P.D.

:: Post relacionado: A cabeça de Darth Vader


Muito esclarecedor e ilustrativo o texto This Is Your Brain on Metaphors publicado esses dias no Opinionator, blog do New York Times. O autor explica algumas funções cerebrais relacionadas à nossa inata capacidade de simbolizar.

Our brains are wired to confuse the real and the symbolic. And the implications can be as serious as war and peace.

(via Neuroanthropology)

:: Posts relacionados: Amor ao horror, Uma história das sensações


Aparentemente, a prática de Yoga aumenta os níveis de GABA no sistema nervoso central. É o que afirma o estudo Effects of Yoga Versus Walking on Mood, Anxiety, and Brain GABA Levels: A Randomized Controlled MRS Study


Segundo a matéria publicada na ScienceDaily:

Yoga has been shown to increase the level of gamma-aminobutyric acid, or GABA, a chemical in the brain that helps to regulate nerve activity. GABA activity is reduced in people with mood and anxiety disorders, and drugs that increase GABA activity are commonly prescribed to improve mood and decrease anxiety.

:: Post relacionado: Prescrevendo música

Phineas Gage é o exemplo sempre citado quando se fala de alterações da personalidade relacionadas a lesões no lobo frontal. Achei um ótimo texto no Guardian com a extraordinária história do sujeito que teve o cérebro atravessado por uma barra de ferro e sobreviveu, mas com profundas mudanças na personalidade.

Gage was preparing for an explosion, using the tamping iron he holds in the photograph to compact explosive charge in a borehole. As he was doing so, the iron produced a spark that ignited the powder, and the resulting blast propelled the tamping iron straight through his head.

:: Posts relacionados: O primeiro autista, Demência: ano zero

Publicidade de uma época em que fumar era um hábito como outro qualquer. O humor fica por conta do contraste com o que se pensa hoje em dia sobre o assunto.


Mais um texto sobre um dos meus temas favoritos, a relação entre criatividade e transtorno mental. Em The Essential Psychopathology Of Creativity , a autora toca nos principais pontos sobre a mania e sua influência na produção intelectual.

Is there a difference between being hypomanic and being extremely creative?  Yes, there is.  While being an intensely creative person may imply you are meeting most of those criteria a lot of the time when you are in that state of flow, that doesn’t mean you are dysfunctional.

:: Posts relacionados: Fogueira da criatividade


A matéria Manic Panic – Why are more and more children being diagnosed with bipolar disorder? publicada na Slate trata do delicado tema do diagnóstico de transtorno bipolar na infância. O texto cita alguns best-sellers americanos sobre o assunto que expandem a fronteira do diagnóstico de forma perigosa.

But criticizing widespread proliferation and drug treatment of pediatric bipolar disorder misses the important underlying problem. Normal families don’t seek out stigmatizing labels and give their kids scary drugs for the hell of it. They do these things because they are at wit’s end.

Leitura interessante não só para o pessoal da psiquiatria infantil.

:: Posts relacionados: Autismo econômico, Lucrando com a psicose

Transtorno bipolar na infância, livros, hiperatividade

Grief Out of Darkness into Light - Jozef Israels (1834-1911)

Texto curto e interessante do Mind Hacks sobre os mitos envolvendo as reações de luto e perda. Um deles, muito difundido pela TV e pelos filmes, é de que o luto teria fases típicas e bem definidas. O post original traz os links de dois artigos recentes sobre o assunto. Vale uma olhada.

Posts relacionados: Mal de Lua, Dez por cento do cérebro


No último Congresso Brasileiro de Psiquiatria tive a oportunidade de assistir a uma mesa muito informativa de estudos sobre os efeitos cognitivos da ayahuasca, uma bebida utilizada em rituais religiosos como o Santo Daime e a União do Vegetal.

Pesquisando sobre o tema, encontrei este artigo sobre os efeitos da bebida sagrada na sensopercepção (“mirações”, entre os adeptos).

O primeiro contraste é entre conteúdo e forma. As visualizações da ayahuasca podem aparecer em diferentes formas. Visualizações podem diferir quanto à intensidade da percepção, estabilidade, extensão temporal e também quanto ao impacto psicológico e/ou espiritual que vêm a ter nas pessoas.

Posts relacionados: Ouvindo cores, Psiquiatria e psicodelia


Mind Control Made Easy é um curta-metragem pungente  sobre o poder de influência dos líderes de cultos radicais. Vale a pena reservar dez minutos para ver (em inglês, infelizmente não achei nenhuma versão com legendas)

Posts relacionados: Sentindo o futuro, Natureza humana, Psiquiatria & psicodelia


Algumas pessoas simplesmente adoram sentir medo. Eis uma boa (e breve) matéria da LiveScience sobre o poder magnético que os filmes de terror exercem sobre nossas mentes: Bloodlust or Bloodless? Horror Film Love Runs Deep.

So some people like being scared more than others. But why? The answer may lie in an aspect of personality known as sensation seeking. People who are high sensation-seekers thrive in response to intense experiences, said Marvin Zuckerman, professor emeritus of psychology at the University of Delaware.

Post relacionado: Vastas emoções e pensamentos imperfeitos


Gostei dessa matéria do Psychology Today feita para céticos e crentes: Have Scientists Finally Discovered Evidence for Psychic Phenomena?! O texto é sobre novos rumos da pesquisa psicológica de fenômenos ditos paranormais.

So if we accept that these psi phenomena are real, how then can we explain them without throwing out our entire understanding of time and physics? Well, the truth is that these effects are actually pretty consistent with modern physics’ take on time and space.

A matéria baseia-se nos achados do seguinte artigo (no prelo) do dr. Daryl Bem.

Post relacionado: Mal de lua, O inconsciente e a bola


Why Are the Effects of Marijuana So Unpredictable?
é uma matéria que pode interessar ao pessoal que estuda dependência química.

Consider marijuana, which can trigger dramatically different symptoms depending on the strain and context. It’s long been known that different strains of the drug contain various amounts of Tetrahydrocannabinol (THC), the main psychoactive ingredient. When people talk about the effects of the drug – such as giddiness, the munchies, and a sudden desire to watch The Big Lebowski* – they’re typically referring to the effects of THC.

(Via Mind Hacks)

*O Grande Lebowski (foto) é um grande filme, por sinal.

Post relacionado: Psiquiatria & psicodelia


Esta matéria
publicada no Telegraph sobre estimulação magnética transcraniana faz a gente refletir sobre a nosso real poder de escolha.

The idea that our bodies can be controlled by an outside force is a pretty astonishing one. “This is absolutely out of my control,” insists Prof Haggard, as his muscles continue to move. “I’m not doing it, Christina is. I’m just a machine, and she is operating me.”

Post relacionado: Prescrevendo música


Predicting Soccer Matches After Unconscious and Conscious Thought as a Function of Expertis
e
é um estudo controlado bem curioso sobre a capacidade de prever resultados no futebol de maneira insconsciente. Parece que não precisa ser especialista no assunto para apostar.

Both experts and nonexperts predicted the results of soccer matches after conscious thought, after unconscious thought, or immediately. In Experiment 1, experts who thought unconsciously outperformed participants in all other conditions. Whereas unconscious thinkers showed a correlation between expertise and accuracy of prediction, no such relation was observed for conscious thinkers or for immediate decision makers.

(via Wired)

Post relacionado: Mal de lua